Torta de morango 🍓 D E L I C I O S A 🍓

Olá, pessoal! Tudo bem aí do outro lado? Por aqui está tudo ótimo, ainda mais agora que a Primavera chegou e o clima começou a ficar mais confortável. 🙏🙏🙏 #ufa!

Para entrar nessa onda de frescor que a nova estação traz, decidi fazer a receita do meu doce preferido EVER 🍓😍.

Eu sei que tem gente que vira os olhinhos quando se fala em preparar um doce que pode ser comprado na padaria com 0% de esforço mas deixe-me contar uma coisa pra vocês: não existe nada mais prazeroso do que a alquimia de transformar alguns simples ingredientes em algo delicioso e bonito. Parece mágica. 

Vem comigo nesse passo-a-passo que hoje eu vou mostrar para vocês que não tem nenhum mistério no preparo da Torta de Morangos 🍓🍓🍓🍓🍓. 

Ingredientes:

Para a Massa Podre você vai precisar de:

  • 400g de farinha de trigo,
  • 125g de manteiga com sal,
  • 1 ovo,
  • 100g de açúcar cristal,
  • 1 colher de café de canela,
  • 50ml de água gelada.

Para o Creme de Confeiteiro, separe:

  • 400ml de leite,
  • 50g de maisena,
  • 1 vagem de baunilha natural ou 1 colher de aromatizante baunilha,
  • 4 gemas,
  • 1 caixinha de Creme de Leite,
  • 100g de açúcar cristal.

    Para a decoração:

    200g de morangos lavados e cortados em pétalas. Não se preocupe com os morangos que não ficarem perfeitos. Você pode colocá-los embaixo ou separar para congelar e usar em outras receitas. 

    Gel de brilho (seguindo as instruções de preparo do produto), feita especialmente para tortas ou gelatina de morango, que para esta finalidade deverá ser preparada com menos água para endurecer mais rápido! 

    Vamos começar?

    Ok! Primeiro devemos por a mão na massa – literalmente – e misturar em uma bacia todos os ingredientes da Massa Podre. Não se desespere se no início os ingredientes não ficarem homogêneos, com um pouco de amor e paciência tudo se ajeita. 

    Trabalhe bem a massa até perceber que o seu aspecto meio arenoso começou a se transformar em uma bola amanteigada que não gruda mais nas mãos. Caso perceber que a massa ainda está grudenta, adicione um pouco (eu disse POUCO) mais de farinha e continue a sovar até ela chegar no ponto ideal. 

    Agora vamos abrir a massa. Uma dica de OURO é estender um plástico sobre uma superfície plana, colocar a massa e cobri-la com outro plástico para poder abri-la com maior facilidade com o auxílio de um rolo ou mesmo de uma garrafa de vinho.

    Feito isso, remova uma das partes de plástico e encaixe a massa aberta na assadeira, de preferência aquelas de fundo removível. Acomode bem a massa na forma com os dedos mantendo uma espessura de, pelo menos 1,5 a 2cm. Se for muito fina, pode quebrar facilmente e se for muito grossa ficará crua por dentro, comprometendo o resultado. 

    Assim que a sua massa estiver acomodada na forma, remova o plástico superior, ajeite as bordas removendo as ‘rebarbas’ e lembre-se de furar o fundo e as laterais com um garfo para a massa não estufar quando for ao forno.

    Agora sua massa LINDA vai tirar uma soneca de 1 hora na geladeira enquanto o seu forno é aquecido na temperatura de 180° a 200°. Use um timer e enquanto a massa descansa, você pode começar a cortar os morangos e preparar o Creme de Confeiteiro.

    Tenha em mãos os ingredientes do Creme de Confeiteiro para iniciarmos o preparo. Caso você opte por usar a baunilha natural (esse palitinho que você vê na foto), ferva-a no leite que ela libere o aroma.

    Com o auxílio de um garfo ou batedor de ovos, mescle os ingredientes mencionados acima (o leite por último) até que fiquem bem homogêneos.

    Agora, transfira tudo para uma panela e, em fogo médio, mexa bem até que o creme comece a encorpar. Se mexer devagar demais ou, pior ainda, se não mexer 😱 o creme vai ficar tudo zuado, cheio de grumos, o que a gente não vai deixar acontecer de jeito nenhum, não é mesmo?

    Alguns minutos depois…

    O forno está quente e a massa, que permaneceu por 1 hora na geladeira, já pode ser assada. Para que a massa não forme bolhas de ar fure-a com o garfo mais uma vez e coloque alguns feijões sobre ela antes de levá-la ao forno. 

    Asse a massa por 15 a 20 minutos NO MÁXIMO. Caso você não conheça muito bem a potência do seu forno acompanhe o processo minuto a minuto para não queimar a massa e colocar todo seu trabalho a perder. 👍 Depois de assar a massa, deixe esfriar para poder desenformar.

    Com a massa já desenformada, podemos recheá-la com o Creme de Confeiteiro. Lembre-se de deixar um espacinho para os morangos e também para a gelatina que irá cobrí-los. 

    Continue decorando sua torta, use a imaginação, libera seu potencial criativo! 😁

    Depois de concluir a montagem, cubra os morangos com o gel brilho ou com a gelatina de morango e leve-a para a geladeira para que tome consistência. 

    Viu como é simples? Além do Creme de Confeiteiro, você também pode usar creme de chocolate, chantilly etc… 

    Que tal surpreender a família, os amigos ou o #mozão com esta sobremesa fantástica?

    🍓

    Que tal aprender a fazer uma deliciosa “pizza di patate”? (Receita italiana 🇮🇹❤)

    Enquanto na Itália o frio começa a dar uma trégua e dá lugar à Primavera, o clima brasileiro começa a esfriar e aí bate aquela vontade ~marota~ de experimentar pratos mais substanciais e mais quentes, não é mesmo?

    Então hoje vou dar uma dica de um prato muito simples que vai deixar toda família feliz e pratos bem limpinhos (pois todo mundo vai comer até o último pedaço).

    O meu amore gosta TANTO deste prato que pediu para a mamma dele me ensinar a fazer (que responsabilidade!!! 😱). No início fiquei super receosa de ser uma daquelas receitas tradicionais que exigem habilidades culinárias feat. super poderes mas quando coloquei a mão na massa vi que é POSSÍVEL de ser realizada e fica UMA DELÍCIA. 

    E aí, vamos começar?

    Separe os seguintes ingredientes para fazer a deliciosa Pizza di Patate

    • 6 batatas médias
    • 4 ovos
    • 2 colheres de maisena 
    • 100g de queijo parmesão para a massa
    • 100g de queijo parmesão para polvilhar e gratinar
    • 50g de manteiga
    • 3 a 4 fatias de presunto cozido (pode ser retalhos ou sobra de presunto também)
    • 50 a 70g de queijo mussarela ou algum outro de sua preferência (eu usei caciocavallo e un pouco de maarsdam pois são queijos que derretem bem)
    • Farinha de rosca para polvilhar. 💡 Dica: use aquele pãozinho seco que sobrou do café-da-manhã. Basta colocar no forno a fogo baixo por 20-30 min e depois ralar o pão até obter uma farinha uniforme. 
    • Assadeira pequena a média
    • 1 dente de alho pequeno amassado 
    • Sal a gosto 

    A primeira coisa que você deve fazer – e que não tem segredo nenhum – é fazer un pequeno trabalho de marujo: lavar bem e descascar algumas batatas. Feito isso, corte-as ao meio e coloque-as para cozinhar junto com o alho amassado por pelo menos 30 minutos para que fiquem bem macias. Para uma família pequena, de até 4 pessoas, sugiro que sejam utilizadas 6 batatas médias. 

    Passado o tempo de cozimento das batatas (que devem estar bem macias) amasse-as bem com um garfo ou use um belo espremedor de batatas que irá facilitar o seu trabalho e evitar a fadiga. Ah, já ia me esquecendo. Enquanto prepara a pizza, ligue o forno a 180° e preaqueça por no mínimo 20 minutos.

    Adicione 4 ovos, 2 colheres de maisena, o parmesão e um pouco de sal e misture bem até formar uma massa lisa.

    Agora, unte bem a assadeira e coloque a primeira camada de batatas com o auxílio de uma colher. A primeira camada deve corresponder à metade da massa obtida. A outra metade deve ser reservada em quantidade suficiente para cobrir depois.

    Sobre a primeira camada, coloque alguns pedacinhos de manteiga. A manteiga serve para deixar a massa ainda mais macia e saborosa.

    Espalhe o presunto por toda estensão da massa…

    … e adicione também o queijo que, como pode ser visto na foto, deve estar bem distribuído. 👍

    Com uma colher ou uma espátula de silicone (para não desperdiçar nada) coloque a 2° camada de massa que irá cobrir a Pizza di Patate. Faça com a massa ainda quente para que você consiga espalhar com facilidade. 

    Para espalhar a massa e deixar a superfície bem lisinha o segredo é usar o lado côncavo da colher e ir pressionando a massa levemente até que ela preencha toda a assadeira.

    Viu como fica tudo lisinho? 👍

    Agora é a hora de dar o toque final e para isto precisaremos de nada menos do que a espetacular MANTEIGA! 

    É só repetir o procedimento do início do preparo: espalhar pequenos pedacinhos de manteiga por toda a massa. 

    Agora chegou a parte que eu mais gosto: polvilhar queijo parmesão ralado por tudo! Claro que, tudo tem limite né, gente… Por exemplo; aqui no Sul da Itália é considerado um pecado mortal colocar queijo ralado em pratos a base de peixe e frutos do mar. Portanto, se aquele restaurante italiano que você frequenta servir uma pasta alle vongole coberto de queijo, troque urgentemente de restaurante. 😂

    Depois do queijo parmesão é a vez da farinha de rosca, que aqui na Itália é chamada de pangrattato. Ela serve para dar um toque crocante e dourado à pizza. 

    A esta altura, seu forno já deve estar bem quente. Coloque a assadeira no forno e após 30 a 40 minutos sua Pizza de Patate de receita italiana já estará pronta.

    Depois me contem como foi a experiência (e se aprovaram o sabor!).

    Buon appetito!

    🇮🇹❤

    🎅 Bolachinhas amanteigadas de chocolate para alegrar o seu Natal e presentear 🎄

    25cb0452683a7e658b65951416e2088d

    Além do tradicional panettone, invenção italiana que de uns anos para cá se popularizou na sua versão de chocolate – o chocottone – e também no maravilhoso panettone trufado (é ou não é uma perfeição natalina?), esta época do ano também é propícia para apreciar as tradicionais bolachinhas amanteigadas que tem aquele delicioso sabor de infância.

    Lembro-me que quando era criança, não só no Natal mas em qualquer outro período do ano, nunca faltavam bolachinhas em casa. Minha avó e minha mãe faziam diferentes receitas desta iguaria; bolachinhas de nata, bolachinhas de pinga, bolachinhas de leite condensado… uma vez que se comia a primeira era praticamente impossível parar. As de Natal, no entanto, tinham um sabor especial. Eram acrescidas de chocolate, castanhas, tinham aquele perfume aconchegante da baunilha e claro, um ingrediente mágico: o alegre e festivo espírito natalino.

    Um dia desses, enquanto pensava nas possíveis opções de presentes para meus familiares (e no orçamento apertado! 💸💸💸) tive a ideia de fazer estas bolachinhas para presenteá-los dentro de uma caixinha bem divertida que encontrei por acaso enquanto navegava pela internet e que, irei compartilhar com vocês muito em breve.

    A receita de bolachinha que escolhi é muito simples e atende a duas características que prezo muito: leveza e sabor.

    biscoito-natalino-2_web

    Bolachinhas amanteigadas de Natal 🎅

    Ingredientes:

    • 250 gramas de manteiga (já amolecida)
    • 1 lata de leite condensado
    • 1 ovo
    • 50 gramas de cacau em pó
    • 250 gramas de farinha de trigo
    • 250 gramas de maisena
    • 100 gramas de castanha (do Pará ou outra de sua preferência) triturada
    • 1/2 colher de chá de bicarbonato em pó
    • 1 colher de chá de fermento em pó
    • 1 pitadinha de canela em pó (ou cardamomo em pó)
    • 1 colher de chá de essência de baunilha (desta vez usei a de Amarula.

    Modo de Preparo:

    1. Um dia antes, misture todos os ingredientes, sove a massa para ficar bem homogênea e forme uma bola. Envolva-a em um filme plástico e guarde na geladeira para que a massa descanse por uma noite 🌃.
    2. Com a ajuda de um rolo, estique a massa sobre uma superfície lisa (pode ser o mármore da pia da cozinha) para que ela tenha pelo menos 1cm a 1,5cm de espessura e corte as bolachinhas com os cortadores de sua preferência. 💡 Caso não tiver nenhum cortador, pode usar uma xícara de café pequena ou aqueles copinhos de dose (shot) para cortar em formato de bolinhas. Feito isso, pegue os retalhos de massa, enrole novamente, estique e corte outra vez.
    3. Preaqueça o forno a 170ºC.
    4. Forre uma forma com papel manteiga.
    5. Acomode as bolachinhas com um espaço de dois dedos entre elas para que possam crescer. Elas não crescem muito mas é bom evitar colocá-las muito próximas senão elas podem grudar umas nas outras e, desta forma, não ficarão bonitinhas.
    6. Asse por cerca de 15 minutos, observando a potência do seu forno. Se seu forno for daqueles beeeem potentes, o tempo deverá ser menor. Fique de olho no tempo para não deixar que elas queimem. 🕙
    7. Retire a forma do forno e deixe que as bolachinhas esfriem naturalmente. Durante esse tempo de espera, elas continuarão assando e chegarão ao ponto certo. Se você estiver sendo auxiliado(a) por uma criança, tome cuidado para que ela não se queime, ok?!
    8. Depois de esfriar totalmente você poderá acondicionar as bolachinhas em potinhos, latas ou mesmo saquinhos decorados.
    biscoito-chocolate-simples-facil-3
    Na falta de cortadores, use copos de dose (shot) ou pequenas xícaras para cortar as bolachinhas. 

    Deixe seu comentário!

    História e receita de Gnocchi de batatas da nonna para você preparar hoje, dia 29, e ter mais sorte na vida!

    Nhoques (como dizemos em bom português) ou gnocchi, como na grafia italiana é sempre garantia de felicidade. Sua feitura, quase ritualística por assim dizer, confere ao prato a generosidade, o amor e o carinho contido nas mãos de nossas mammas e nonnas, as matriarcas de nossas famílias. O preparo de gnocchi nos oferece uma experiência sensorial completa e prazerosa (e talvez seja por isso que eu gosto tanto de fazê-lo!), proporcionada pelo cheirinho das batatas cozinhando, o calor do vapor que sai das batatas sendo amassadas, o contraste das cores do ovo sendo mesclado à massa e à farinha que irão dar forma e consistência.

    Herança dos tempos difíceis 

    gnocchi-di-patate-2

    Antes de falar sobre como o gnocchi se transformou em símbolo de sorte (buona fortuna!), vamos falar sobre sua origem humilde, quando ele nasceu em uma cozinha pobrezinha, pelas mãos das mammas italianas que, em vez de esmorecer diante da carência de ingredientes e as penúrias da guerra, exercitaram sua criatividade e criaram este clássico da culinária italiana.

    Embora não seja possível precisar o momento exato em que este prato foi produzido, os historiadores afirmam que ele tenha surgido no século 17. Segundo o escritor Sílvio Lancellotti, autor de “O livro da cozinha clássica” (Editora L&PM), não faltava farinha de trigo, ainda que racionada, na despensa dos italianos mais ricos, que continuavam a cozinhar e apreciar suas massas. Enquanto isso, na casa dos italianos mais pobres, a realidade era outra: não havia quase nada de farinha e o jeito era transformar o pão velho na pasta nostra de cada dia, triturando ou ralando o pãozinho duro e misturando com um pouquinho da farinha e água quente. A massa proveniente desta mistura era processada por um cilindro e cortada em toquinhos que, depois, eram cozidos em água fervente ou em um caldo de vegetais e ossos de galinha. E como o sabor ficava bom, com o tempo, até os ricos copiaram a ideia. Já a nossa batata, que participará da receita que ensinarei a seguir, foi a última a entrar nessa história, já que chegou à Europa apenas no século 18.

    Como a criatividade dos italianos não tem fim (Graças a Deus, né non? hahaahah), cada região da Itália possui uma versão customizada de gnocchi – e eu duvido que alguma delas seja ruim -. A propósito, um dia, quero provar pelo menos umas seis receitas diferentes para poder fazer um post aqui para vocês.

    Gnocchi alla brasiliana 

    receita-nhoque-milho-verde

    Cá no Brasil, a receita mais clássica do nhoque (ou gnocchi, se preferir entrar no clima italiano) é a feita com batata, uma porção de farinha e ovo. Existe versões feitas com outros tubérculos também e eu já preparei, por conta da curiosidade, receitas que levavam batata doce, inhame e mandioquinha. Não rendem e ficam abundantes como o de batata mas, salvo as devidas diferenças, todos eles tem o seu charme.

    O grande pecado cometido pelos brasileiros, na tentativa de facilitar o trabalho de modelagem da massa do nhoque, é exagerar na farinha 😱. Por esse motivo eu peço encarecidamente para que vocês resistam à tentação de colocar mais farinha, não duvidem do potencial da massa (hahaha sim, às vezes eu duvido que a receita dará certo, meto mais ingrediente do que o que é pedido e aí estrago tudo!) e sigam a exata medida que eu informarei na receita para que possam desfrutar de um nhoque delicioso e que não ficará duro ou pesado para a digestão. Quanto ao molho (ou sugo), prefiro deixar que vocês escolham o que mais lhe aprouverem. Eu prefiro um sugo di pomodoro feito de forma caseira mesmo, com tomates bem madurinhos, cebola e manjericão, ou um belo ragu’ alla bolognese, que lembra vagamente 😤 a proposta do molho à bolonhesa que é feito no Brasil, com tomates com carne moída. Em outro post, falarei mais sobre eles e outras opções de molhos italianos (sughi italiani) porque eles merecem um post à parte. Aguardem e vocês vão ver que o modo de preparo fará uma grande diferença no seu prato!

    E o ritual do nhoque da sorte, como surgiu?

    nhoque

    Bom, pessoal, eu já havia comentado que os italianos são tão supersticiosos quanto nós brasileiros. Lá eles tem várias simpatias e eu prometo que falarei sobre isso com mais detalhes em outra ocasião.

    O ritual do Nhoque da Sorte (Gnocchi della Fortuna) surgiu quando, num certo dia 29, São Pantaleão visitou um vilarejo e pediu comida a uma família pobre. O anfitrião dividiu a parca refeição com o santo e cada pessoa comeu apenas sete bolinhas de nhoque cada uma. Após as despedidas, os donos da casa encontraram moedas de ouro sob os pratos e daí nasceu o costume de se colocar uma nota ou moeda embaixo do prato de nhoque no dia 29, para atrair fortuna.

    Os fatos históricos, que pena 😞 , tiram um pouco do encanto da simpatia. São Pantaleão viveu entre os séculos 3 e 4, muito antes, portanto, de o próprio nhoque ter sido inventado. Mas, seja como for, a história é bonita e a gente gosta mesmo é de fazer tudo aquilo que traz mais sorte e prosperidade para a vida, não é mesmo?

    Vamos à receita!

    Ingredientes (rende para quatro pessoas que comam bem!)

    • 1 kg de batatas
    • 1 ovo
    • 300g de farinha
    • sal a gosto

    Como preparar

    Antes de tudo, é importante saber como escolher as batatas certas para que elas não absorvam a farinha e mantenham o cozimento. Os melhores são as batas brancas, por serem ricas em amido e por isso mais “farinhosas”. Além disso, as batatas tem que ser um pouco já passadas. Ah, se não quiser fazer 1kg de gnocchi, tudo bem. Fracione: 100g de farinha a cada 300g de batatas!

    Ferva as batatas com a casca em uma panela com água e sal. Quando elas estiverem macias (o garfo entra na batatas sem problemas) e ainda quentes, descasque-as e amasse-as com um espremedor de batatas em cima de um pouco de farinha. Comece a amassar e com o composto ainda macio, adicione o ovo. Continue a amassar até obter uma mistura amarela, compacta e sem grumos.

    Estenda a massa em rolinhos e corte o nhoque de batata do tamanho que você quiser. Faça uma marquinha no nhoque de batata com um garfo e coloque-os sobre uma camada de farinha de modo que eles não grudem antes de cozinhar.

    Conservação

    Se você não for consumi-los de uma só vez, você pode congelá-los, tomando cuidado para não deixá-los grudados um ao outro antes de congelar.

    Cozimento

    Em uma panela, deixe a água ferver e adicione o sal. Jogue então uma parte dos nhoques na água e espere ele vir à superfície. Quando a primeira porção vir à superfície retire com uma escumadeira e jogue outra porção na panela. Repita até que todo o nhoque acabe.

    *

    Bom preparo e Buon appetito! 🍴

    Mangiare alla italiana: Que tal fazer uma receitinha simples de pasta, camarão e tomatinhos?

    Hoje vamos ensinar uma receita bem simples, mas muito gostosa e bem simples para você mangiare alla italiana sem precisar gastar aos tubos ou ter que procurar por ingredientes difíceis de encontrar no Brasil.

    Você vai precisar de:

    • Uma boa frigideira;

    • Uma panela média a grande para cozinhar o macarrão;

    • 500g de fettucine;

    • 1 caixinha de tomatinhos cereja;

    • 1 xícara de chá (200 ml) de azeite de oliva extra virgem e de boa qualidade;

    • 1/4 de xícara de chá de água (para amolecer os tomatinhos)

    • 1 colher de chá de manteiga de boa qualidade;

    • 500g de camarões médios limpos e descascados;

    • 3 dentes de alho inteiros e descascados;

    • 1 pitadinha de pepperoncino ou pimenta calabresa a seu gosto;

    • sal a seu gosto;

    • salsa picadinha a seu gosto.

    Como fazer:

    1 – Cozinhe o macarrão respeitando o tempo de cozimento informado pela marca de sua preferência. 👉 Dica: Lembre-se que para fazer una vera pasta alla italiana, devemos ficar atentos ao ponto de cozimento que deve ser al dente, isto é, a massa deve ser firme e não muito cozida como temos costumes aqui na América.

    2 – Reserve o macarrão e inicie o preparo do nosso velocissimo sughetto que leva os tomatinhos, o azeite, o toque de manteiga (que eu particularmente amo!) e o camarão.

    3 – Aqueça uma parte do azeite com os três dentes de alho que não farão parte do molho (sim, eles serão retirados!) e quando perceber que eles já deixaram o azeite saborizado, retire-os e adicione os camarões. ⚠ Atenção: o tempo de cozimento do camarão é rápido, no máximo 10 minutinhos, para que eles não fiquem com a textura de borracha. Feito isso, reserve os camarões em um potinho e passe para o próximo passo.

    4 – Acrescente a parte restante do azeite e também a colher de manteiga e aqueça. Agora adicione os tomatinhos, adicione o sal e também a pimenta à sua escolha, abaixe um pouco o fogo e deixe-os amolecer. Adicione 1/4 de xícara de água quando você perceber que o tomatinho está perdendo sua hidratação. Quando chegar no ponto desejado (tomatinhos molinhos e um pouquinho de molho), junte os camarões para deixar tudo homogêneo e junte também o macarrão já cozido. Mexa para ficar homogêneo, com cuidado para não romper o macarrão, ok?

    5 – Finalize com a salsa e está pronto para ser servido.

    3ca97ce75e6f9264bc8d3700b3892b45

    Viu como é simples? Agora é só aproveitar o sabor e Mangia che te fa bene! 

     

     

    INFOGRÁFICO: Pão caseiro 100% integral

    Hoje nós iremos provar para vocês é possível trocar o pão feito com farinha branca pelo pão integral sem fazer nenhum sacrifício.

    Apesar da massa não crescer tanto quanto o pão de farinha branca, esta receita de pão 100% integral foi testada e aprovada em termos de praticidade e sabor. A durabilidade deste pão é de, pelo menos, três dias (mas eu duvido que irá sobrar pois é realmente uma delícia!).

    Antes de acompanhar o infográfico, separe já os ingredientes que serão usados. Você irá precisar de farinha integral, água, açúcar mascavo, sal, azeite, fermento biológico e manjericão.

    Mãos à obra!

    infografico-receita-ilustrada_pao-100-integral

    Via Mixidão

    Pizza de Berinjela: fácil, deliciosa e saudável

    Pensando em um petisco prático, fácil e saudável para dar um up na sua noite de sexta-feira? Nós temos a receita perfeita para você caprichar depois do expediente, sem perder horas e horas na cozinha.

    Para preparar a Pizza de Berinjela você vai precisar de:

    • 2 berinjelas grandes partidas em rodelas de aproximadamente 2,5cm;

    • 4 tomates maduros picadinhos;

    • 200g de mussarela ralada;

    • Sal;

    • Azeite;

    • Orégano ou manjericão à gosto;

    • 1 assadeira antiaderente.

    Monte as pizzas, leve ao forno a 210º por pelo menos 30 minutos e buon appetito!

    f3dad2c24cd151789eb3de7b0a9ab88f.jpg