O melhor caminho é o que nos leva para casa

Tudo o que eu tinha naquele momento eram três malas. Duas bem grandes, abarrotadas de coisas de todos os tipos: roupas; sapatos; objetos pessoais; dois livros de idioma; pastas de documentos; papéis e uma outra, pequena, onde eu havia colocado os itens mais delicados e simbólicos, como meu altar com as imagens pequeninas dos meus santos de devoção.

No início, partir parecia loucura mas a verdade é que eu já não era mais mais capaz de permanecer. A escolha já tinha sido feita antes mesmo que eu me desse conta do que tudo aquilo significava. Era preciso ir para que a toda minha vida e todo entorno florescesse. O primeiro sinal desta energia de fluidez se materializou em uma roseira que eu havia plantado e mesmo com todas as tentativas e cuidados, ela não se permitia vingar. Meses depois de minha ida minha mãe me ligou para dizer apareceram lindos botões.

É doloroso partir, seja de onde for, de um casamento, de uma cidade, de um emprego, de um papel social… Dói bastante. Partir também passou a significar dividir ao meio: uma parte que morre para outra tenha vida. Quando eu parti, a ‘velha Paula’ começou a morrer para dar lugar à nova. Ela não morreu completamente. Não quero forçar o processo pois sei que tudo ocorre em seu devido tempo. Uma hora ela irá ‘cantar para subir’, serei grata ao que este velho modelo de vida me ensinou e estarei pronta para o novo. É uma agonia ter de deixar para depois aquilo que se quer para já. Mas é necessário. Tenho esperança que irei achar o ponto de equilíbrio um dia.

No entanto, quando a sua mente (o eu inferior) começar a te dizer que você deveria isso ou aquilo, sinta-se tranquilo para não fazer ou pensar ou dizer nada. Nessas horas o melhor é o recolhimento. Medite. Aquiete-se e apenas sinta com o seu coração (o Eu Superior). O coração é a bússola e o todo o resto são ladrões de sonho e energia.

O caminho é longo e desafiador. Em momentos onde a mente impera eu me sinto em dúvida, sozinha, perdida e pequena. E é aí que mora o perigo. A mente é mesquinha, calculista e vai te julgar fraco. É nessas horas que a gente “chora largado” e se sente um lixo. Tem vontade de voltar pra merda, pois lá tudo era familiar. Não se identifique com isso. Apenas deixe que passe. Quantas vezes fiz aquele dramalhão todo, me revoltei com o mundo, prometi que ia por fogo em Roma e no dia seguinte, ao olhar no espelho do banheiro, estavam lá os mesmos olhos e, dentro deles, oa mesmos sonhos que me impulsionam… Mantenha-se focado no projeto original.

Se estiver cansado, descanse, não desista. Desistir é abandonar o projeto divino, é ter um barco (e a chance de se salvar) e mesmo assim pular no mar sem salva vidas. Acredite que tem chance, ainda que mínimas segundo a lógica da tua mente.

Mesmo que não seja fácil e você tenha sentido o chamado – algo dentro de você está te arrastando pra fora da zona de conforto – não tenha medo, vá. Bota os pés que o Universo põe o chão embaixo. Parece loucura, mas uma vez que você acredita que pode dar certo, você cocria toda uma realidade que te levará ao encontro de si mesmo.

Pois o melhor caminho é aquele que nos leva pra casa. 🍀

Namaste

🙏

Anúncios

MANDALA DA LUA: AUTOCONHECIMENTO E EMPODERAMENTO FEMININO

Após seis meses do início de um processo de readaptação e redescoberta do meu próprio corpo, conheci a Mandala da Lua, uma excelente ferramenta de reconexão e mapeamento do ciclo lunar e ciclo menstrual pessoal, para que possamos compreender sobre os padrões de cada fase de nossos ciclos.

Suas idealizadoras recomendam que façamos um mapeamento da lua (ou mais, caso os padrões ainda não estejam muito claros), para que possamos começar a perceber os padrões d ciclo que talvez você nunca estivemos cientes; padrões que nos informam sobre como fluir de forma mais consciente e equilibrada em nossos ciclos mensais pessoais e em nossas vidas.

Reconhecer e reconectar

Contamos o primeiro dia do ciclo como o primeiro dia de sangramento, finalizando no último dia antes de começar a próxima menstruação. Do total de dias, dividimos este ciclo em 4 (quatro) partes, onde cada quarto representa uma fase distinta que estão relacionadas às quatro fases da Lua, às diferentes estações do ano, as diversas fases do dia, etc.

Um ciclo dito saudável acontece geralmente entre 25 e 33 dias, se seu ciclo é menor ou maior, é sugerido que observe se não existe aí algum desequilíbrio a nível sutil, emocional ou físico.

Fora isso, a movimentação de seu ciclo acontece em um ritmo muito particular: ele pode ser mais curto em alguns meses(em que muitos processos internos foram ativados ou muita energia vital utilizada), ou mais longos (quando existe uma maior necessidade de integração e contemplação com o que ocorre em nós, em nossas vidas).

O Ciclo da Lua possui 29,5 dias mas cada fase lunar (Lua Nova, Crescente, Cheia e Minguante) pode durar de 6 a 9 dias cada, dependendo do ciclo; ou seja, este processo nos chama a sair da linearidade e lógica da mente e entrar em um processo de sentir e fluir a um nível mais sutil e intuitivo; já sendo um ótimo exercício de reconexão com a sutileza e os mistérios do feminino sagrado.

Tornando-se presente em si mesma

A cada momento em que recebemos nosso sangue menstrual, algo está sendo finalizado, terminado e concluído em nós e/ou em nossas vidas. À medida que nos conectamos mais a esta ciclicidade e a nós mesmas, começamos a perceber que existe aí uma sabedoria maior do que nossa mente pode compreender; uma sabedoria que diz respeito aos processos de cura e crescimento como seres espirituais vivendo uma jornada como mulheres. Uma sabedoria que nos ensina a respeito dos tempos de vida, de morte, de renascimento; e que nada tem a ver com datas, calendários, números ou padrões pré estabelecidos. Uma sabedoria que se manifesta, mesmo que não estejamos conscientes dela.

É interessante pensar que não existe um ciclo certo ou errado e nem um ciclo melhor do que o outro. Não existe uma necessidade de que seu ciclo ocorra sempre no mesmo período, sempre com a mesma quantidade de dias, ou sempre na mesma fase da lua; assim como não existe a necessidade de que seja em uma ou outra lua específica. A melhor perspectiva que podemos ter neste estudo é de que nosso corpo é sábio e ele nos trará sinais, mensagens a respeito do que estamos vivendo a um nível mais profundo; utilizando o ciclo menstrual como ferramenta para se conhecer e se situar com mais consciência na verdade que se manifesta em ti, para ti, a cada novo momento… e assim como é.

A LUA E O CICLO PESSOAL

A Lua em que recebemos o nosso sangue, diz respeito ao que estamos nutrindo ou curando, de acordo com a energia específica de cada fase. Existe um forte mito a respeito de que menstruar na Lua Nova é melhor, ou que menstruar na mesma Lua todos os meses significa estarmos mais conectadas; mas esta crença é simplesmente uma manifestação de nossa mente controladora, racional e limitada, buscando rotular os nossos processos.

Para compreender isso de forma prática, podemos citar alguns exemplos: ficar menstruada na Lua Crescente, pode estar indicando algum processo de limpeza de aspectos de nossa infância, de nossa criança interna… ou de alimentação de algum novo projeto, uma nova idéia que se inicia. Menstruar na Lua Nova pode estar relacionado a curas de aspectos de nosso subconsciente, de acesso a nossas sombras e padrões arraigados; ou de nutrição de nosso potencial de recolhimento, quietude e solitude. Estes são apenas exemplos, mas a melhor forma de saber o que significa cada uma destas fases é a observação de si, da lua e desta equação que se forma entre a lua no céu, a lua em ti, e as diferentes manifestações que ocorrem a partir disso!

DIFERENTES FACETAS DO SER MULHER NO CICLO MENSTRUAL:

É comum estipularem também arquétipos e padrões específicos para cada ciclo e suas fases; como a Menina, a Mãe, a Anciã, etc. Porém, é extremamente importante que cada mulher se dedique a conhecer os seus próprios padrões, os próprios arquétipos que estão sendo ativados a cada lua, a cada fase do ciclo menstrual; e as manifestações pessoais e individuais de seu caminhar único e individual através desta Mandala do Ciclo.

Respondendo a estas perguntas passamos a observar a nós mesmas com mais atenção; compreendendo e reconhecendo nossas fraquezas e potencialidades enquanto imersas neste interminável ciclo de vida-morte-vida desde o nosso ventre. Neste ato de amor próprio e cuidado de si, podemos utilizar a nossa energia de forma mais sábia e eficiente; caminhamos por nosso ciclo em equilíbrio dinâmico: um exemplo prático disso é iniciar projetos quando estamos com uma energia mais focada (fase pré ovulatória); compartilhar de nossa presença quando estamos mais abertas e extrovertidas (fase ovulatória); finalizar e concluir projetos, fechar ciclos (fase pré menstrual); descansar, meditar e se recolher nas fases de maior introspecção (durante a menstruação); etc.

“CONHECER A NÓS MESMAS NOS EMPODERA EM MUITOS NÍVEIS… NOS POTENCIALIZA TANTO NA FORMA COMO LIDAMOS COM OS NOSSOS PROCESSOS INTERNOS, COMO NA FORMA COMO NOS MANIFESTAMOS NO MUNDO.”

A TPM COMO FERRAMENTA DE AUTOCONHECIMENTO:

Outra interessante pergunta a se fazer a cada novo ciclo, especialmente na fase pré menstrual (conhecida como TPM) é: “O que eu gostaria de transformar em minha vida?” , ” O que deveria estar sendo diferente?”, “O que estou carregando para o meu novo ciclo mas que não mais está alinhado com que sou e o que almejo?”. “O que eu deveria deixar para trás para me viver o novo ciclo de forma mais alinhada com minha verdade interna?” ou “O que desejo para o novo ciclo?”

Fazendo estas perguntas a cada mês e comparando estes padrões do que vem à tona em nossa TPM, podemos perceber com mais clareza o quanto estamos crescendo e espiralando em nossa jornada de vida, ou , do contrário, o quando estamos girando em círculos, empurrando nossas frustrações com a barriga e repetindo continuamente os mesmos padrões. Neste exercício é importante que a mulher assuma 100% da responsabilidade pelos seus processos, compreendendo que tudo o se que manifesta fora é resultado de construções internas. Os padrões estão ai, se mostrando a cada novo ciclo, pedindo para serem transformados… mas lembre-se: a mudança começa sempre dentro!

A MANDALA DA LUA E A FERTILIDADE INTELIGENTE

A Mandala da Lua é uma ferramenta que pode ser também utilizada como meio de Controle de Fertilidade, de uma forma muito mais saudável, íntegra e orgânica do que os métodos utilizados hoje em dia.

Conhecendo os padrões das manifestações emocionais e físicas da ovulação e do período infértil, a mulher para de depender do controle linear de datas, calendários ou pílulas; e passa a utilizar da consciência de si como a mais confiável ferramenta. Não podemos usar os eventos do passado para prever o que irá acontecer em nosso corpo no futuro! Por isso a tal tabelinha (e os Apps que são tabelinhas digitais) não são nem um pouco confiáveis!

Não adianta achar que só porque você tem 28 dias de ciclo você ovula no 14o dia! Isso pode mudar a cada novo ciclo, então o ideal é mapear os sintomas, observar como você se sente a cada dia, a cada novo momento e ir encontrando as características de quando você está ou não fértil!

Para os sinais primários podemos contar por exemplo com o Muco Cervical, com a Temperatura Basal e com a posição do Colo do Útero! Não sabe onde é o colo do seu útero e tudo isso que eu disse parece que estou falando grego? Então sugiro que você dê uma olhada nos materiais e no curso onlinedas idealizadoras deste projeto —>> SAIBA MAIS: www.danzamedicina.net/programaonline

Este estudo é importante não só para quem QUER engravidar, para quem NÃO QUER engravidar e para quem simplesmente quer tomar responsabilidade por sua própria saúde, parando de colocar a responsabilidade de seu corpo na mão de terceiros!!!!

Alguns outros sintomas secundários(não são tão confiáveis como os sintomas primários citados acima pois podem variar a cada ciclo ou de mulher para mulher, mas vale a dica para observa-los!)

– A temperatura do corpo aumenta a partir da ovulação- para estudo de temperatura basal!

– Seus seios podem se tornar maiores e mais sensíveis nas datas próximas à ovulação. No período infértil se encontram menores e mais flácidos.

– Os lábios internos e externos da vagina podem se encontrar mais abertos e exuberantes nas datas próximas da ovulação;

– Pode-se notar desconforto na região dos ovários ou da cintura;

– Suor aumentado- pele e cabelos mais oleosos;

– Pode haver mais desejo sexual;

– Você se sente mais disposta, expansiva, amorosa, criativa e confiante;

– O colo do útero se encontra mais aberto, maleável e alinhado com a vagina. Este exame se faz introduzindo os dedos médio e indicador na vagina até que se encontre o colo do útero. Diferente do período fértil, no período infértil ele se encontra duro, baixo e fechado, inclinado sobre a parede da vagina.

– Muda a aparência e sensação do muco vaginal: No período infértil a sensação é de secura e o muco é pegajoso e escasso – um padrão sem mudanças reflete a inatividade ovárica. O período fértil se caracteriza por muco aumentado, sensação molhada e escorregadia; a aparência do muco é transparente, como clara de ovo (você pode experimentar esticá-lo com os dedos polegar e indicador e perceber como ele é elástico e não se rompe).

Algumas dicas:

A fase fértil começa nas primeiras mudanças do padrão básico de infertilidade- seis dias mais ou menos antes da ovulação. O último dia de muco aumentado é o mais fértil do ciclo, chamado Ápice. Para que o óvulo não seja fecundado, não poderá haver ejaculação entre o primeiro dia de mudança do padrão de infertilidade até o quarto dia depois do Ápice(considerando que o espermatozóide pode sobreviver até 72 horas no corpo da mulher).

ps- As dicas aqui são básicas, quase só a ponta do iceberg, mas já é um bom começo! Dedicação, consciência, informação e responsabilidade, são bons acompanhantes neste nosso processo! Mas não se afobe, um passo de cada vez…. sua conexão com você mesma e com seu ciclo já será de uma transformação gigantesca em sua vida!!! Seguimos…

Estes são alguns sinais que podem ser observados como padrão de fertilidade, porém observe através das suas próprias anotações quais são as características físicas, emocionais e mentais que se expressam neste período! Ao se conhecer com mais profundidade e assertividade, você pode se previnir de uma gravidez indesejada ou potencializar uma possível gravidez, se assim desejar. Este é também um estudo que lhe permite ir tomando as rédeas sobre sobre seu próprio corpo, sobre como você escolhe manifestar a sua sexualidade neste templo sagrado. É uma forma de utilizar as energias de sua ovulação com o propósito da criatividade, da expressão; gastando e parindo a realidade que você deseja criar para ti mesma- em forma de ideias, projetos, soluções criativas, etc.

A MANDALA DA LUA E OS CONTRACEPTIVOS HORMONAIS:

Para as mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais, este exercício de auto-observação se torna limitado, pois os hormônios artificiais alteram substancialmente o seu ciclo natural; porém, ainda sim é indicado que o façam, afinal, no momento em que a gentil Avó Lua percebe o chamado das mulheres por reconexão, muita sabedoria e muitos presentes são oferecidos. Este é com certeza um grande passo para se libertar dos medicamentos, do medo da fertilidade ou das desordem hormonais e físicas em geral.

E OS HOMENS, PODEM FAZER A MANDALA?

Sim! Mulheres na menopausa, gestantes e mulheres que por qualquer outra razão não sangram mais podem fazer a Mandala também! Neste caso, a observação dos padrões ocorrem apenas de acordo com as fases da lua, mas não com o ciclo menstrual. Lembrando que a lua tem influência sobre tudo e todos!

ENTÃO, ESTÁ PRONTA? VAMOS COMEÇAR!

COMO PREENCHER A SUA MOONDALA:

1) Há 29 luas em cada gráfico. Eles foram coloridos de preto para ilustrar as fases de um ciclo lunar. A lua preta representa a lua nova. A lua branca representa a lua cheia. Você deve começar a preencher uma nova Moondala no primeiro dia de seu ciclo, no primeiro dia de menstruação e completa-la todos os dias até que chegue a próxima menstruação; quando você passa a usar uma nova Moondala. É sugerido que se faça este estudo por pelo menos 3 meses, para que as mandalas sejam comparadas e ospara que os padrões sejam observados e encontrados.

2) Para começar o seu mapeamento, você precisa saber que a fase da lua é o Dia 01 do seu ciclo. O dia 01 de seu ciclo é o dia em que você começa a sangrar. Para saber qual fase da lua está no dia 01, você precisa checar a data em que começou a sangrar no anexo do Calendário Lunar (por exemplo, se você começou a sangrar no dia 04 de Janeiro de 2016, então olhe o calendário lunar e descubra qual o dia e qual a fase da lua estava naquele dia:, terceiro dia de Lua Minguante). Depois de ter este ponto de referência, você pode começar a anotar os dados na Mandala da Lua. Os dias (1,2,3 etc) e as datas correspondentes de seu ciclo (04 de janeiro, 05 de Janeiro, 06 de Janeiro, etc) ; de acordo com as imagens da lua mostradas na Mandala.

3) Os dias do seu ciclo são registrados na área intitulada “Dia”.

4) As datas correspondentes de seu ciclo da lua são escritos na área intitulada “Data”.

5) A área intitulada “Físico” é onde você deve documentar as mudanças que acontecem em seu corpo- por exemplo, aumento dos seios, muco na vagina( e características deste muco), mamilos sensíveis, prisão de ventre, diarréia, sede, cansaço físico ou vitalidade, cólicas, gases, falta ou excesso de sono, oleosidade ou secura no cabelo e na pele, dores musculares, acne, quantidade do fluxo menstrual, etc.

6) A área intitulada “Emocional” é onde você deve documentar as mudanças que acontecem em seu ser a nível emocional- irritabilidade, extroversão, introversão, receptividade, passividade, determinação, euforia, criatividade, protetora, carinhosa, ansiosa, estressada, etc.

Você pode complementar também com informações como: sonhos, como você se veste, quais os tipos de programa você faz ou sente vontade de fazer, libido, quais alimentos você sente desejo ou aversão, se você sente mais ou menos apetite, a qualidade e o tempo de seu sono, etc.

7) O espaço ao lado da lua, você pode colorir de vermelho nos dias da menstruação e de alguma cor específica para fazer referência aos possíveis dias férteis.

8) Perceba que nossa Mandala da Lua não está pronta; você quem irá consolidar este material através de suas informações e através de sua arte! As ilustrações em torno da Moondala são um convite para que você expresse seu universo interno e se envolva mais subjetivamente; em forma de cores e criações.

DICAS DE MAPEAMENTO:

* Consistência é a chave: Para criar um hábito diário de anotações, é recomendado que você mantenha sua Mandala da Lua em um lugar de fácil acesso, como a sua mesa de cabeceira por exemplo.

* Faça valer a pena: Tente criar em sua mente o contexto de que este tempo que você está alimentando sua Mandala, é um momento para refletir, para se observar; é um ato de carinho, cuidado e amor-próprio. Um ritual de reconexão com você mesma.

* Consolidar: Você pode também anotar uma visão geral de 2-4 dias, se a sua experiência ao longo destes dias é relativamente semelhante. Isto irá facilitar encontrar o padrão de cada fase.

Namaste! 🌷🙏

🛀 BANHO DE AVEIA CONTRA DERMATITES 🛀

beneficios-aveia-620x330

A dermatite é uma doença bastante comum que pode atingir crianças, adultos e até mesmo idosos.  Uma das suas manifestações mais conhecidas é a dermatite atópica que se dá principalmente em crianças pequenas ou recém-nascidos. Embora não exista ainda uma explicação para o que pode ocasionar esta doença, já que ela pode ocorrer por diversas razões tais como; alergia à agentes químicos e medicamentos, ressecamento da pele, suor, atrito, fatores hereditários ou imunológicos, é possível encontrar alívio e melhora do quadro utilizando-se de produtos naturais.

Os principais sintomas são o ressecamento e a coceira intensa, além de manchas vermelhas ou até mesmo pequenas bolhas com um líquido transparente em seu interior. A determinação do fator que desencadeia a dermatite só pode ser feita por um especialista (Dermatologista) mas vale lembrar que ela tem cura. Deixamos claro que esta sugestão de terapia natural que faremos a seguir não substitui o tratamento médico e que a utilização de produtos naturais pode auxiliar a controlar os sintomas das enfermidades mas não substituem a avaliação e recomendação médica.

produto-ideal-pele

Porque a Aveia faz tão bem para a pele

Você já deve ter visto várias opções de sabonetes à base de aveia, assim como cremes hidratantes. Esta boa fama deste cereal para os cuidados da pele se deve ao fato de que a aveia possui propriedades emolientes, que regeneram a pele a protegem contra infecções.

A aveia é riquíssima em ácidos graxos poli-insaturados, silício e mucilagens, que cuidam e regeneram peles sensíveis, feridas e secas, além de garantir mais elasticidade e suavidade. Ela também diminui a coceira e a inflamação.

Modos de usar a aveia

  • Cataplasma: triture bem os grãos da aveia no liquidificador (ou use a farinha), misture-a com um pouco de água, mexendo bem até que forme um mingau com textura de pasta. Guarde esta mistura na geladeira e utilize-a diretamente na área afetada, com uma gaze ou pedaço de tecido limpo. A mistura irá promover alívio e melhorará a pele em poucas aplicações.
  • Decocção: Coloque duas colheres de sopa de farelo de aveia em um litro de água. Ferva esta mistura, espere esfriar e utilize-a como a última água de enxague de seu banho, após concluir o banho de higiene. Deixe esta água de aveia secar na pele e vista-se como de costume.
  • Consumo como alimento: a aveia tem muitas propriedades nutritivas e é rica em fibras, o que confere um aporte maior de nutrição ao organismo. O resultado é um intestino regulado e uma pele muito mais viçosa e hidratada.

receitas-com-aveia

PRECE AOS ANJOS GUARDIÕES

Anjo-da-Guarda

Se você acredita que podemos ser amparados por anjos e espíritos guardiões em todos os momentos de nossas vidas, faça esta prece para fortalecer a presença e o auxílio de seu Anjo de Guarda, pedindo-lhe sabedoria, luz, proteção e esclarecimento.

Prece aos Anjos Guardiões

Espíritos sábios e benevolentes, mensageiros de Deus, cuja missão é assistir aos homens e conduzi-los pelo bom caminho. Amparai-me nas provas desta vida; dai-me a força de sofrê-las sem lamentações; desviai de mim os maus pensamentos, e fazei que eu não dê acesso a nenhum dos maus Espíritos que tentariam induzir-me ao mal. Esclarecei a minha consciência sobre os meus próprios defeitos, e tirai-me dos olhos o véu do orgulho, que poderia impedir-me de percebê-los e de confessá-los a mim mesmo.

Vós, sobretudo, meu Anjo Guardião, que velais mais particularmente por mim, e vós todos, Espíritos Protetores, que vos interessais por mim, fazei que eu me torne digno da vossa benevolência. Vós conheceis as minhas necessidades; que elas sejam satisfeitas segundo a vontade de Deus.

Meu Deus, permite que os Bons Espíritos que me assistem possam ajudar-me, quando me achar em dificuldades, e amparar-me nas minhas vacilações. Senhor, que eles me inspirem a fé, a esperança e a caridade, que sejam para mim um apoio, uma esperança e uma prova da Vossa misericórdia. Fazei, enfim, que eu neles encontre a força que me faltar nas provas da vida, e para resistir às sugestões do mal, a fé que salva e o amor que consola.

Espíritos amados, Anjos Guardiões, vós, a quem Deus na sua infinita misericórdia, permite velarem pelos homens, sede o nosso amparo nas provas desta vida terrena. Dai-nos a força, a coragem e a resignação; inspirai-nos na senda do bem, detendo-nos no declive do mal; que vossa doce influência impregne as nossas almas; fazei que sintamos a presença, ao nosso lado, de um amigo devoto, que assista os nossos sofrimentos e participe das nossas alegrias. E vós, meu Anjo Bom, nunca me abandoneis. Necessito de toda a vossa proteção, para suportar com fé e amor as provas que Deus quiser enviar-me.

Assim é!

Muita paz e proteção a todos.

🙏

🇮🇹 DOCG, DOC, IGT, DOP E IGP? Conheça as classificações de vinhos e alimentos italianos 🇮🇹

2017-09-06-23-19-41-021
In vino veritas: as denominações de origem mostram toda não apenas a qualidade mas também a identidade de cada tipo de vinho.

Muito mais que um simples selo de qualidade, a classificação italiana para alimentos e bebidas representada pelas siglas – DOCG, DOC, IGT, DOP e IGP – trazem informações muito importantes sobre a “identidade cultural” dos diferentes tipos de produtos típicos italianos e, pode acreditar em mim, não é coisa de gente fresca não.

O que está por trás de cada uma destas siglas

l_223_vini-pregiati-successo-export-e-italiano

D.O.C.G. (DENOMINAZIONE DI ORIGINE CONTROLLATA E GARANTITA)

Os vinhos que possuem denominação de origem controlada e garantida são regulamentados e identificados a partir de uma zona de origem muito precisa, com características especiais que permitem a produção de um vinho ímpar. Este é o caso do Prosecco que é produzido apenas em Valdobbiadene e Conegliano a partir de uma uva cultivada apenas nesta localidade e um método de produção patenteado.

D.O.C. (DENOMINAZIONE DI ORIGINE CONTROLLATA)

Um vinho de denominação de origem controlada tem sua zona de coleta de uvas delimitada, suas características são relativas ao ambiente e uma técnicaa de produção específica, aprovada pelo ministério.

Os vinhos D.O.C. são regulamentados e identificados a partir de uma zona de origem muito precisa também.

Para receber esse selo, devem apresentar algumas informações, como: a zona de produção, o rendimento máximo das uvas e de vinho por hectare, as características físico-químicas dos vinho, as técnicas da produção, a composição dos vinhedos, entre outros.

Quanto mais se aumentam as indicações, mais se restringe o número de produtores e a qualidade do vinho produzido.

I.G.T. (IDENTIFICAZIONE GEOGRAFICA TIPICA)

A identificação geográfica típica é uma terceira forma de classificação dos vinhos. Esses vinhos são produzidos em áreas normalmente amplas, mas ainda assim seguindo requisitos específicos.

As uvas utilizadas para fazer o vinho devem ser, em pelo menos 85%, proveniente da zona geográfica indicada.

Para receber esse tipo de selo, o vinho deve ter algumas informações, como: a indicação geográfica, a delimitação da zona geográfica, as tipologias enólogas – incluindo as cores, entre outros.

Obrigatoriamente, um vinho com este selo deve apresentar no rótulo a sua zona geográfica, tipologia e ano da colheita.

forma-intera-parmigiano-reggiano-grande

D.O.P. (DENOMINAZIONE DI ORIGINE PROTETTA)

O selo de denominação de origem protegida vem atribuído somente por lei aos alimentos de características peculiares que dependem essencial ou exclusivamente do território onde são produzidos.

O ambiente geográfica compreende tanto os fatores naturais, como o clima e as características ambientais, como também a técnica que, ao serem combinados, permitem a geração de um produto único, impossível de ser produzido em outro local.

O seguimento das normas que garantem a produção de um alimento D.O.P é feito por um organismo de controle específico.

I.G.P. (INDICAZIONE GEOGRAFICA PROTTETA)

O selo de indicação geográfica protegida é garantido para produtos agrícolas e alimentares de uma determinada qualidade, reputação ou outra característica que dependem da origem geográfica e cuja produção, transformação ou elaboração acontece em uma área específica.

Para obter esse selo, pelo menos, uma das fases do processo produtivo deve acontecer em uma área específica. Além disso, deve-se atender a regras rígidas na disciplina de produção e tudo isso é garantido por um órgão de controle específico.

Visivelmente, a diferença entre um produto D.O.P e um I.G.P. é feita pelas cores do selo que são amarelo e vermelho, e amarelo e azul, respectivamente, para que as pessoas não se confundissem.

Na lista de ambos, D.O.P e I.G.P., entram vinhos, vinagres, carnes, queijos, azeite de oliva, peixes, verduras, pães, entre outros.

S.T.G. (SPECIALITÀ TRADIZIONALE GARANTITA)

f26a418a45

Esse selo de especialidade tradicional garantida foi inserido pela União Europeia com o objetivo de certificar produtos ou comidas típicas que são obtidos por meio de métodos de produção tradicionais.

Ele é voltado para produtos agrícolas e alimentares que tenham uma “especificidade” ligada ao método de produção ou à composição ligada à tradição de uma zona, mas os produtos não necessariamente são produzidos somente em tal zona. Ex.: a pizza Napoletana. Embora ela possa ser feita em praticamente toda a Italia, a verdadeira pizza Napoletana possui características específicas e é feita por meio de uma técnica particular que a difere da pizza Romana, por exemplo.

vini-doc-docg-igt

Para ver uma lista de todos os produtos que carregam esses selos de qualidade italianos, clique aqui. 🇮🇹

Fonte: Istituto Marchigiano