História e receita de Gnocchi de batatas da nonna para você preparar hoje, dia 29, e ter mais sorte na vida!

Nhoques (como dizemos em bom português) ou gnocchi, como na grafia italiana é sempre garantia de felicidade. Sua feitura, quase ritualística por assim dizer, confere ao prato a generosidade, o amor e o carinho contido nas mãos de nossas mammas e nonnas, as matriarcas de nossas famílias. O preparo de gnocchi nos oferece uma experiência sensorial completa e prazerosa (e talvez seja por isso que eu gosto tanto de fazê-lo!), proporcionada pelo cheirinho das batatas cozinhando, o calor do vapor que sai das batatas sendo amassadas, o contraste das cores do ovo sendo mesclado à massa e à farinha que irão dar forma e consistência.

Herança dos tempos difíceis 

gnocchi-di-patate-2

Antes de falar sobre como o gnocchi se transformou em símbolo de sorte (buona fortuna!), vamos falar sobre sua origem humilde, quando ele nasceu em uma cozinha pobrezinha, pelas mãos das mammas italianas que, em vez de esmorecer diante da carência de ingredientes e as penúrias da guerra, exercitaram sua criatividade e criaram este clássico da culinária italiana.

Embora não seja possível precisar o momento exato em que este prato foi produzido, os historiadores afirmam que ele tenha surgido no século 17. Segundo o escritor Sílvio Lancellotti, autor de “O livro da cozinha clássica” (Editora L&PM), não faltava farinha de trigo, ainda que racionada, na despensa dos italianos mais ricos, que continuavam a cozinhar e apreciar suas massas. Enquanto isso, na casa dos italianos mais pobres, a realidade era outra: não havia quase nada de farinha e o jeito era transformar o pão velho na pasta nostra de cada dia, triturando ou ralando o pãozinho duro e misturando com um pouquinho da farinha e água quente. A massa proveniente desta mistura era processada por um cilindro e cortada em toquinhos que, depois, eram cozidos em água fervente ou em um caldo de vegetais e ossos de galinha. E como o sabor ficava bom, com o tempo, até os ricos copiaram a ideia. Já a nossa batata, que participará da receita que ensinarei a seguir, foi a última a entrar nessa história, já que chegou à Europa apenas no século 18.

Como a criatividade dos italianos não tem fim (Graças a Deus, né non? hahaahah), cada região da Itália possui uma versão customizada de gnocchi – e eu duvido que alguma delas seja ruim -. A propósito, um dia, quero provar pelo menos umas seis receitas diferentes para poder fazer um post aqui para vocês.

Gnocchi alla brasiliana 

receita-nhoque-milho-verde

Cá no Brasil, a receita mais clássica do nhoque (ou gnocchi, se preferir entrar no clima italiano) é a feita com batata, uma porção de farinha e ovo. Existe versões feitas com outros tubérculos também e eu já preparei, por conta da curiosidade, receitas que levavam batata doce, inhame e mandioquinha. Não rendem e ficam abundantes como o de batata mas, salvo as devidas diferenças, todos eles tem o seu charme.

O grande pecado cometido pelos brasileiros, na tentativa de facilitar o trabalho de modelagem da massa do nhoque, é exagerar na farinha 😱. Por esse motivo eu peço encarecidamente para que vocês resistam à tentação de colocar mais farinha, não duvidem do potencial da massa (hahaha sim, às vezes eu duvido que a receita dará certo, meto mais ingrediente do que o que é pedido e aí estrago tudo!) e sigam a exata medida que eu informarei na receita para que possam desfrutar de um nhoque delicioso e que não ficará duro ou pesado para a digestão. Quanto ao molho (ou sugo), prefiro deixar que vocês escolham o que mais lhe aprouverem. Eu prefiro um sugo di pomodoro feito de forma caseira mesmo, com tomates bem madurinhos, cebola e manjericão, ou um belo ragu’ alla bolognese, que lembra vagamente 😤 a proposta do molho à bolonhesa que é feito no Brasil, com tomates com carne moída. Em outro post, falarei mais sobre eles e outras opções de molhos italianos (sughi italiani) porque eles merecem um post à parte. Aguardem e vocês vão ver que o modo de preparo fará uma grande diferença no seu prato!

E o ritual do nhoque da sorte, como surgiu?

nhoque

Bom, pessoal, eu já havia comentado que os italianos são tão supersticiosos quanto nós brasileiros. Lá eles tem várias simpatias e eu prometo que falarei sobre isso com mais detalhes em outra ocasião.

O ritual do Nhoque da Sorte (Gnocchi della Fortuna) surgiu quando, num certo dia 29, São Pantaleão visitou um vilarejo e pediu comida a uma família pobre. O anfitrião dividiu a parca refeição com o santo e cada pessoa comeu apenas sete bolinhas de nhoque cada uma. Após as despedidas, os donos da casa encontraram moedas de ouro sob os pratos e daí nasceu o costume de se colocar uma nota ou moeda embaixo do prato de nhoque no dia 29, para atrair fortuna.

Os fatos históricos, que pena 😞 , tiram um pouco do encanto da simpatia. São Pantaleão viveu entre os séculos 3 e 4, muito antes, portanto, de o próprio nhoque ter sido inventado. Mas, seja como for, a história é bonita e a gente gosta mesmo é de fazer tudo aquilo que traz mais sorte e prosperidade para a vida, não é mesmo?

Vamos à receita!

Ingredientes (rende para quatro pessoas que comam bem!)

  • 1 kg de batatas
  • 1 ovo
  • 300g de farinha
  • sal a gosto

Como preparar

Antes de tudo, é importante saber como escolher as batatas certas para que elas não absorvam a farinha e mantenham o cozimento. Os melhores são as batas brancas, por serem ricas em amido e por isso mais “farinhosas”. Além disso, as batatas tem que ser um pouco já passadas. Ah, se não quiser fazer 1kg de gnocchi, tudo bem. Fracione: 100g de farinha a cada 300g de batatas!

Ferva as batatas com a casca em uma panela com água e sal. Quando elas estiverem macias (o garfo entra na batatas sem problemas) e ainda quentes, descasque-as e amasse-as com um espremedor de batatas em cima de um pouco de farinha. Comece a amassar e com o composto ainda macio, adicione o ovo. Continue a amassar até obter uma mistura amarela, compacta e sem grumos.

Estenda a massa em rolinhos e corte o nhoque de batata do tamanho que você quiser. Faça uma marquinha no nhoque de batata com um garfo e coloque-os sobre uma camada de farinha de modo que eles não grudem antes de cozinhar.

Conservação

Se você não for consumi-los de uma só vez, você pode congelá-los, tomando cuidado para não deixá-los grudados um ao outro antes de congelar.

Cozimento

Em uma panela, deixe a água ferver e adicione o sal. Jogue então uma parte dos nhoques na água e espere ele vir à superfície. Quando a primeira porção vir à superfície retire com uma escumadeira e jogue outra porção na panela. Repita até que todo o nhoque acabe.

*

Bom preparo e Buon appetito! 🍴

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s