A maçã podre

11171520449752

Se, numa analogia completamente surreal – daquelas ‘viagens na maionese’ mais malucas que temos – pudéssemos dizer que a vida é como essa fruteira, talvez seria mais fácil tentar entender porque muitas vezes as coisas parecem ir de mal a pior, mesmo quando pensamos estar fazendo tudo direitinho. A explicação para este fenômeno é muito simples: embaixo das maçãs bonitas e bem vermelhinhas está a sua maçã podre.

Algumas vezes ela fica escondida dentro da gente, na forma de baixa autoestima, o “dedo podre” que faz aceitar qualquer porcaria na área afetiva ou nos faz tolerar os mandos e desmandos de um chefe incapaz de liderar porque simplesmente acreditamos que não merecemos ou temos potencial para conquistar uma pessoa ou um emprego melhor.

Graças à esta maçã estragada da autoestima debilitada nós perpetuamos os hábitos nocivos que já estamos carecas de saber que fazem mal. Assim, vamos vivendo no modo automático, desconsiderando tudo de bom que nós temos dentro da gente, inclusive os nossos sonhos. Seguimos a vida fumando, usando drogas, comendo compulsivamente, exagerando na bebida, buscando só as coisas que não prestam, atraindo para nós apenas os piores parceiros, os piores amigos, as piores condições de trabalho e os piores salários.

Outras vezes esta maçã tóxica se esconde no nosso meio familiar/social/profissional. É aquela pessoa desfuncional, egoísta e chiliquenta que está adoecendo toda a família mas que ninguém tem a coragem de dar um basta e colocá-la no seu devido lugar porque “tem dó”. Ou aquele seu amigo problemático que só vê as coisas ruins da vida e que você faz de tudo pra ajudar mas que é uma verdadeira persona non grata. Pode ser também aquele seu colega de trabalho que só te compromete, que ferra você com os seus superiores e que às vezes você tem vontade de mandar ir às favas, mas sempre opta por livrar a cara dele, num ato máximo de bondade cristã. “Coitado(a) dele(a), um dia ele(a) acorda pra vida”, você pensa. Só que a pessoa não acorda nunca. Pelo contrário, ela continua na dela, muito bem acomodada entre as maçãs mais brilhantes e suculentas, para não se dar conta de quão podre e feia ela está.

Estas pessoas são tão podres, mas tão podres, que, para não destoarem muito de quem está no seu entorno, fazem de tudo para apodrecer os outros. Destilam veneno em comentários maldosos, fazem de tudo para o circo pegar fogo e colocam as outras pessoas pra baixo, fingindo que são superiores ou senhoras da razão.

Geralmente a maçã podre se julga vítima de uma família cruel – ou outro grupo – que não a compreende. Não importa o quanto o pai, a mãe, os irmãos, os amigos, a esposa, o marido, o(a) namorado(a), o(a) amante, os filhos e até o cachorro se matem para vê-la feliz. O(A) coitadinho(a), que é como ele(a) se vê, sempre irá falar muito mal daqueles que o rodeiam já que, para ele(a) que ninguém presta.

Estas pessoas não sabem tratar os outros de igual para igual porque se sentem inigualáveis, acima do bem e do mal. A dor delas é maior do que a de qualquer outra pessoa e simplesmente são incapazes de encarar os seus atos. Muitas vezem, justificam suas ações culpabilizando outras pessoas. “Se você não tivesse feito A eu não teria feito B”. Se sentem muito à vontade encenando o papel de frágil mas são elas que ditam as regras de seus relacionamentos pois gostam mesmo é de usar as pessoas a seu bel prazer. E não se engane: quando parecem estar te pedindo alguma coisa, na verdade as maçãs podres já tem certeza de que você irá dizer sim. Até porque elas não aceitam não como resposta e farão de tudo para fazer com que você se sinta a pior das criaturas por negar-lhes algo, prometendo-lhe vingança. “Você vai ver só…”

Como elas não se dão ao trabalho de cuidar das próprias finanças (e também não estão nem aí que você esteja dando um duro lascado para ter alguma coisa na vida), costumam não se sentir nenhum pouco constrangidas em pedir algum dinheiro emprestado. Dizem sempre que paga “assim que receber”, coisa que nunca acontece. Mas elas sempre têm uma boa razão para não cumprir o compromisso assumido. Seja por culpa de outra fatalidade financeira que lhes tenham ocorrido (senta que lá vem história), seja porque elas têm um bom argumento para não te pagar. Quem nunca emprestou dinheiro para alguém que na hora de devolver o favor  ̶s̶e̶ ̶f̶e̶z̶ ̶d̶e̶ ̶b̶e̶s̶t̶a̶ ̶  ficou ofendido por você “fazer tanta questão de receber”?

E já que basta uma maçã podre para estragar todas as maçãs da fruteira, é bom você descobrir logo aonde é que está a sua e livrar-se dela o quanto antes (ou pelo menos se afastar o máximo que puder). Antes que seja tarde demais.

*

Anúncios

2 comentários sobre “A maçã podre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s